terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Manifesto ao teatro II


Que não tenhamos que sofrer tanto para demonstrar nossas capacidades! Que a recompensa venha e acabe com toda forma de escravidão e prisão de sonhos que se sonha. Que não precisemos nos desiludir cada vez que haja uma partida, e que não temamos a partilha. Desejo o coletivo não imposto, mas participativo. Herói de comunidade sempre se torna um covarde na História. Não quero discutir politica, sejamos apolíticos para politizar. "O teatro não deve ir ao poder, mas sim o poder ir ao teatro."* Preciso de mais oportunidades entregues realmente, não seguidas de desconfiança, desrespeito e humilhação. Quando verdadeiras pessoas de teatro vão surgir para me tornar um verdadeiro ser humano de teatro? Quando entenderemos que atuar não é um favor, nem divertimento -apesar de divertir - e é um trabalho, que cansa e precisa ser pago, se não com honorários, - o mais justo - com dignidade, gratidão e respeito. Quando ser apenas artista vai bastar? Desejar mais de um artista que sua arte é não entender a concepção de um e do outro e não perceber o quão importante é o seu trabalho. Porque artista é pau pra toda obra sem precisar assinar ponto, nem ser supervisionado. Quem supervisiona simplesmente não faz. Não faz arte, nem coísissima nenhuma. Apenas assina ponto...Quem sou eu? Pra quê falar dos meus títulos! Há poucos sim, mas há cinco anos de muita imaturidade superada, de muita corrida atrás disso que queremos e de conquistas boas, em prol de um coletivo que não é meu.
Se é ressentimento, rancor, despeito, dor de cotovelo? Não. È apenas memória sendo feita. Porque um dia alguém vai ler isso e perceber o quão cruel é o mundo lá fora que não permite que cresçamos aqui dentro. A culpa é de muitos, até se chegar na injustiça de hoje, com o estopim doméstico, há tantos setores, tantos absurdos, tantos sonhos aprisionados e escravizados por tantas mãos que nunca vi. Se há vontade de parar, de desistir, de esquecer? Há. Muita. E não é covardia, falta de senso, preguiça... É apenas um ferro que dilacera o peito há anos. Que nos deixa um bagaço como puta velha, como a Neusa Sueli. Porque cansa acreditar no outro, e desacreditar sempre. Cansa ver tanta gente sendo iludida, enganada com falsos talentos. Vá ver que estou nessa legião de enganados. Eu quero um pouco de honestidade para a gente, nós todos, que lutamos a ferro e fogo e sempre nos fodemos com o cú do outro na mão. Porque no nosso há sempre mais merda não é mesmo?
Quero mais vontade de vencer, de criar, de permitir ao outro a viagem. E se caso haja poltrona para outras pessoas, porque não embarcamos? Ora, seria tão simples se permitissimos à todos conquistar seus sonhos. E viajaríamos muito mais. Não há apenas uma forma de fazer. Não há apenas uma palavra última monárquica intransigente. Quantas vezes calei por respeito, não a representação de outros, mas respeito aos seus sonhos, às suas vontades. Sem que para isso julgasse seus meios. Hoje sei que influência é uma via de mão dupla. Mas má influência nunca cometi. Não aqui, nesse sonho que sonhei junto-sozinho-junto-sozinho.
E se acaso decidi que não vale mais a pena, valeu muito até agora. Certas certezas não se apagam. Mas chegou a hora de relembrar o menininho que se via na revolucionária da escola, que não admitia injustiça, preconceito. Hora de perder, pra ganhar em outro lugar

*Ilma Fontes
** Qualquer coincidência é mera semelhança

2 comentários:

eduardo disse...

vc fez perdoa por me traires né? vc é foda e ponto final. embora eu ache vc melhor na direção do que atuando. Mas... eu não entendo nada de teatro. "Perdoa Por Me Traíres..." "Nelson..." A maior peça de todos os tempos da última semana.

OmaX disse...

É visivel em seus olhos Euler, o seu amor e apreço que tens pelo teatro. Então se entrega a ele. O teatro é feito por muitos e de muitas formas diferentes, não deixa que te iludam de que só a um caminho para se chegar a roma.

Deixe que pensem que só suas "verdades" são ouvidas, e que ninguem mais consegue cativar o mundo.

Faça sua arte valer mais dentro de você. E faça com prazer, e para SE realizar, como você tem feito muitas vezes.

Para uma pessoa que te adimira como amigo e artista. E que confia e torce por você.