quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009


Põe a mão na minha cara e me esconde por favor! Preciso urgentemente de mãos cobrindo minha velha cara mascarada de tanta dor e cinismo. Cinico bem, imensamente cinico. Do mesmo modo que o Rodrigues, do mesmo modo que todos que julguei. Minto, a mentira é minha e ninguém compreende entende? A farsa que espalmava nos outros também se incorpora em mim, em todas as minhas atitudes que não repudio, não nego. O mentiroso de todas as vezes, percorrendo os bueiros, porque esgotos são um tanto poéticos, um tanto teatro. E eu sou muito menos que isso. Eu sou minimo. NãO cresci o suficiente, trata-se apenas de um tédio. tedioso eu, tedioso você, tedioso o mundo todo. O mundo roto, roxo, pouco! MAS MEU ENTENDE? Meu mundo repleto de faixas de pedestres que se quiser pode respeitar, se não atravesse antes do sinal verde e seja feliz! Seja feliz meu bem, muito feliz. quem sabe a gente não se encontre para tomar café e debater teatro. Quem sabe troquemos algumas máscaras e cantemos ângela Roro até o sol nascer de novo... Talvez discutiremos política... Você dirá os nomes dos ministros e eu direi que a única politica que conheço é a da Pagu. E gritarei que um dia nos veremos de novo... Por assuntos inacabados acabam um dia! quem sabe o nosso não termine quando seus lábios pintarem de vermelho o redor das minhas faixas... Passe por aqui! Atravesse, retorne

2 comentários:

Manuh Andrade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Manuh Andrade disse...

eu ja disse que vc é bom em tudo oq faz? bom em tudo que eu ja te vi fazer!!
(mais rasgação de seda)

amores incompreendidos