sábado, 15 de novembro de 2008

Está bem, eu assumo, preciso de uma dose urgente, uma dose urgente e permptória, quase uma overdose de teatro, de ensaio de texto, roteiro, aula, aquecimento, ansiedade, diretor enchendo o saco enquanto coça o saco, pseudo-atores contracenando comigo, me fazendo engolir o velho proverbio: "quem com porcos se mistura, farelos come". Eu preciso urgentemente que alguém me tire desse vazio, desse marasmo, desse vácuo em que me encontro. Eu quero nem que seja uma peça infantil de quinta, sexta categoria, que objetive apenas lucros e cachê. Não que eu não precise do cachê, preciso, quero, mas rápido,antes que eu tenha um avc

p.s: Não estou em plena consci?ência. Passam das duas da manhã

Um comentário:

Vênus disse...

Então mãos a obra meu querido, let´s goooooo vamo bora